ESPIRITUALIDADE, DOZE PASSOS, REFLEXÕES DIÁRIAS, TEMAS SÔBRE DEPENDÊNCIA QUÍMICA

espiritualidade, dependência química, Alcoólicos Anônimos, Narcóticos Anônimos, Alateen, Alanon, saúde física e mental, lazer, curiosidades, doze passos, passagens da bíblia, notícias, clínicas de recuperação. Espero com essas matérias, estar colaborando com alguém, em algum lugar, em algum momento de sua vida.

sábado, 3 de novembro de 2007

O que é ter cidadania

NOSSA FORÇA É A CIDADANIA

“Só é cidadão aquele que tem consciência plena de seus direitos e seus deveres, cumpre com estes e luta com vigor por aqueles. Logo, só é cidadão completo aquele que teve acesso ao conhecimento”.

“O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe que o custo de vida, o preço do feijão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que da sua ignorância política nasce a prostituta, o menor abandonado, o assaltante e o pior de todos os bandidos, o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas nacionais e multinacionais”.

Podemos atribuir as origens da cidadania ao surgimento da democracia grega, mais de dois mil anos atras. Na cidade ( polis) da antiga Grécia, todos podiam se manifestar com moderação. É claro que, dada à época, estavam excluídos das reuniões os escravos, as mulheres e crianças.
JOGADOS AOS LEÕES







Só em Atenas se cultivava o princípio da democracia, inexistente nas demais regiões do Império Grego. Os direitos dos atenienses eram garantidos graças ao domínio político e principalmente graças a cobrança de impostos sobre as demais cidades.

A história da conquista de cidadania registra muitas lutas. Depois da morte de Cristo, por exemplo, teve inicio uma verdadeira caça aos cristãos. Foram jogados aos leões e devorados, nas arenas do Império Romano, até que os adeptos do cristianismo conquistassem o direito de ter seu próprio credo.

Por toda a Idade Média, durante o feudalismo , a maioria da população, ou seja, os mais pobres, tinha o propósito exclusivo de trabalhar, produzir e não questionar. Os membros do clero rezavam e abençoavam a todos. E os nobres, por meio de seus exércitos, lutavam pela segurança de seus feudos.

NASCE O BURGUÊS


Com o passar do tempo, emergiu uma nova camada popular nas regiões vizinhas aos castelos, nos burgos: os burgueses. Estes eram comerciantes e artesãos. A burguesia propôs outra ordem social.. Derrubou Os monarcas absolutistas. E, em 1789, na França, com o apoio dos mais desfavorecidos, proclamou a Revolução Francesa. Seu lema: liberdade, igualdade e fraternidade.

Montesquieu ( 1689-1755 ), um dos principais pensadores do Iluminísmo, como meio para garantir a liberdade, havia proposto a divisão do poder político em três partes : Legislativo, Executivo e Judiciário. Representantes eleitos pelo povo exerciam poderes apenas em suas esferas.

IDEIA NOVA: SOCIALISMO


No século 19 , Karl Marx e Friedrich Engels trouxeram à luz uma nova proposta política, econômica e social : o socialismo, que tem como base a participação da população em todos os setores. A teoria, porém, acabou sofrendo deformações ao ser aplicada por falsos lideres socialistas do século seguinte, deixando uma impressão antipática em relação ao sistema.

No século 20, a estrutura democrática ficou comprometida após duas guerras mundiais e, principalmente , após a instauração de regimes totalitários em grande parte do planeta, com destaque para a Alemanha, com o nazismo; a Itália, com o fascismo; a Espanha, com o franquísmo; e Portugal, com o salazarismo.

Os horrores da Segunda Guerra Mundial ( 1939-1945 ) ainda estavam bem presentes: o massacre dos semitas, a proposta de Hitler de uma raça superior, a exploração e as políticas truculentas, principalmente nas colônias européias da Ásia e da África.

Ao final da guerra, 58 nações criaram a ONU ( Organização das Nações Unidas ), sucessora da Sociedade das Nações, esta nascida dos escombros da Primeira Guerra Mundial, em 1919. Em 1948, a ONU lançou a Declaração Universal dos Direitos Humanos, influenciada pelas cartas de direito dos Estados Unidos da América ( 1776 ) e da Revolução Francesa ( 1789 ) . Transcreveremos aqui, da Declaração Universal dos Direitos Humanos, o primeiro dos trinta artigos aprovados pelas 58 nações reunidas em Paris em 10 de dezembro de l948.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS



Artigo 1º - Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

Entre as décadas de 60 e 80, vários países americanos, asiáticos e africanos sofreram golpes militares. Cidadania e democracia não faziam parte da cartilha dos governantes impostos pela força das armas.

Na África do Sul, vigorava o apartheid. A minoria branca detinha a maior parte da renda do pais. Tendo em vista o propósito colonizador, e como horizonte os países desenvolvidos, os brancos excluíam os negros de toda decisão política. Não podemos esquecer também os países do Segundo Mundo, ou socialistas, pelo menos aqueles que participavam do chamado Bloco Socialista e que exerciam políticas contrárias a filosofia marxista.



OPORTUNIDADE PARA TODOS






Em 1989, deu-se a queda do Muro de Berlim, que simbolizava a separação do Bloco Socialista do restante do planeta. Desmoronaram os ideais do Segundo Mundo. Caíram vários governos ditatoriais e surgiu, ao menos, uma perspectiva democrática.

Devemos ainda mencionar os países do Oriente Médio (árabes). Tanto por meio da política quanto da religião eles não atenderam ainda as necessidades de um mundo moderno em busca da plena cidadania. No mundo árabe, as mulheres ainda sofrem discriminações incompatíveis com o conceito de cidadania de nosso tempo.

A cidadania plena chegará apenas quando as oportunidades forem estendidas a todos, sem distinção. Quando cada cidadão tiver “ direitos e deveres de ser súdito e soberano “ .

“Cabe ao Estado cumprir com suas obrigações sociais, protegendo os cidadãos . garantindo o desenvolvimento, o emprego com renda digna, a liberdade e a democracia. O estado moderno é enxuto , eficiente e ágil”.

Juridicamente, para dispor de cidadania, gozar do pleno exercício dos direitos, você deve ter nacionalidade brasileira.

Para efeitos jurídicos, não são considerados cidadãos:

· Aqueles que não puderem obter o título de eleitor
· Os menores de dezesseis anos
· Aqueles que, mesmo eleitores, têm entre 16 e 18 anos
· Analfabetos
· Que tenham acima de 60 anos e optou por não tirar o título
· Detentos
· Políticos com mandato cassado


A CLASSIFICAÇÃO DOS DIREITOS



DIREITOS CIVIS – Referem-se à liberdade de ir e vir, direito de propriedade etc.

DIREITOS SOCIAIS – Restritos à alimentação, habitação,
saúde, educação.

DIREITOS POLÍTICOS – Referem-se à livre expressão de pensamento e liberdade de prática política e religiosa.

O QUE É O QUE

ESTADO – Representa a sociedade politicamente organizada.
O Estado deve ser composto por população , território e governo.
O Estado responde por serviços públicos que congregam a justiça, a educação, a segurança etc.

NAÇÃO - Possui uma realidade sociológica, que engloba três aspectos:

1. Naturais ( territórios., unidade étnica e idioma comum )
2. Históricos ( tradições, costumes, religiões e leis )
3. Psicológicos ( aspirações comuns, consciência nacional )

PAÍS – Região , Território

PÁTRIA – O país onde nascemos,. Envolvido por um aspecto emocional.

POPULAÇÃO – Número total de pessoas que vivem em um mesmo país.

POVO – Em sentido amplo, está ligado à população, porém estritamente condiz com o conceito de nação: povo brasileiro, povo argentino.

TERRITÓRIO – FORMAS DE GOVERNO – Temos hoje a monarquia, representada pela figura do rei ou rainha ( o poder é transmitido de forma hereditária e o mandato é vitalício ) ; e a república, na qual os cargos dos poderes ( exceto judiciário ) são eletivos e temporários.

REGIME DE GOVERNO – Temos o regime democrático, em que o poder é exercido por representantes do povo, ou com sua participação, direta, segundo as formas expressas na legislação; ou pode haver o regime ditatorial, em que um ditador toma o poder, normalmente de forma violenta e ilegal, exercendo-o independentemente da vontade e interesse da população.

SISTEMAS DE GOVERNO – Temos os sistemas parlamentarista e presidencialista.

No parlamentarismo, o chefe de Estado (representante do Estado) é um presidente ou monarca; e o chefe de Governo ( aquele que exerce o poder) é um primeiro-ministro, que constitui um Gabinete. Tanto o Presidente ( ou rei ou rainha) quanto o primeiro-ministro são responsabilizados por qualquer ato que possa trazer prejuízo à nação; eles estão sob a supervisão constante do parlamento, que poderá interferir de forma mais direta do que no presidencialismo. Assim sendo, o primeiro-ministro e seu Gabinete estarão sujeitos a serem “derrubados” , caso cometam erros ou desmandos.

No presidencialismo, temos a figura do presidente da República como chefe de Governo e de Estado. Nele se concentra praticamente todo o poder. Dessa forma, o presidente pode exercer o poder quase sem controle do Congresso, que somente em poucas oportunidades poderá interferir nos atos do Governo. Isso pode gerar certo desmando, pois mesmo que uma atitude do presidente dê errado, ele dificilmente será responsabilizado; ele somente será retirado do cargo se renunciar ou se passar por um processo de impeachment, o que acontece apenas em caso de atitude comprovadamente criminosa.














Existem alguns direitos que o cidadão as vezes esquece, por isso nem sabe como exercê-los. E, quando esses direitos são feridos , poucos sabem a quem recorrer.

Exemplos de onde ir:

· Todo trabalhador tem o direito de ser registrado em carteira profissional . Caso contrário, deve procurar a Delegacia Regional do Trabalho (DRT). Em São Paulo, procure o Ministério do Trabalho pelo fone 3256-9100

· Se você comprar algum produto que apresenta preços ou características diferente das expostas em propaganda ou promessa do vendedor, recorra à Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon). Em São Paulo, fone : 1512

· Todo trabalhador tem direito a salário mínimo mesmo em atividades com remuneração variável. Esse salário deve ser igual por todo o país e deve ter reajuste periódico que lhe preserve o poder aquisitivo. Caso não seja respeitada essa norma, você pode recorrer à Delegacia Regional do Trabalho (DRT) . Em São Paulo, Ministério do Trabalho, telefone: 3256-9100

· Nenhuma pessoa pode ser discriminada por motivo de religião, credo, raça ou sexo. Toda forma de racismo constitui crime inafiançável (não se pode pagar fiança para se livrar da prisão) e , imprescritível (pode-se processar o infrator a qualquer momento, mesmo que se passem muitos anos) . Caso alguém sofra alguma dessas ofensas pode prestar queixa na Delegacia de Polícia mais próxima.

· Em caso de agressão ou ameaça contra a mulher, mesmo por parte de marido, companheiro ou outro membro da família, ela pode procurar a Delegacia da Mulher. Em São Paulo, telefone: 8876-2908

· Qualquer pessoa empregada há mais de um ano, em caso de demissão voluntária ou não, tem direito a uma homologação perante a Delegacia Regional do Trabalho. Essa lei tem por objetivo evitar abusos do empregador. Em São Paulo, Ministério do Trabalho, telefone 3256-9100

· Ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa sem que a lei estabeleça. Se você sofrer esse problema, procure a Delegacia de Policia mais próxima e preste queixa.

· Todo trabalhador tem direito de filiar-se ao sindicato de sua categoria, ao qual cabe a defesa dos interesses de todos, tanto em questões judiciais quanto administrativas. Em caso de dúvida, procure o sindicato de sua categoria.

· Apesar de assegurada a livre associação sindical , ninguém pode ser obrigado a associar-se , ou a permanecer associado. Ou seja, a pessoa também tem o direito de não se associar, ou mesmo de se desligar do sindicato quando quiser. Se alguém se sentir forçado, pode procurar a Delegacia de Polícia mais próxima.

· Os cidadãos do País podem apresentar proposta de lei ao Congresso Nacional por meio de um processo chamado Iniciativa Popular. A proposta deve ser assinada por, pelo menos, um por cento do eleitorado nacional, distribuído por cinco Estados. São muitas assinaturas, o que implica grande capacidade de mobilização. A Iniciativa Popular terá caráter de urgência e preferência por parte do Poder Legislativo, já que se trata de pedido direto do povo (Democracia Participativa) .

· Alguns tipos de ação na justiça podem seguir um procedimento chamado Processo Sumário. Esse tipo de ação é apresentado ao Tribunal de Pequenas Causas. A causa deve envolver valores inferiores a vinte salários mínimos. Em geral, trata-se de indenizações por acidente de trânsito, conflitos em condomínios, entre outras, desde que o Estado não seja parte na ação. Nesse caso, exige-se o procedimento normal, via ação judicial.

· Toda pessoa tem direito à liberdade de locomoção dentro do território nacional ( direito de ir e vir). Pode permanecer no País ou dele se ausentar com todos os seus bens, desde que não haja nenhum tipo de disposição judicial em contrário. Se você se achar sob ameaça na sua liberdade de locomoção, pode adotar o remédio jurídico conhecido como “habeas-corpus” quando o autor da coação for autoridade, representante ou funcionário do Poder Público que age de forma ilegal ou com abuso de poder.

· Uma pessoa só pode ser detida mediante ordem judicial ou em caso de flagrante e que o habeas-corpus pode ser impetrado pelo próprio interessado ou por qualquer pessoa, independente do pagamento de taxas pois o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita a quem comprove insuficiência de recursos.

QUANTO CUSTOU O PRIMEIRO DE MAIO


Em 1886, nos Estados Unidos, os trabalhadores fizeram greve geral para conquistar a jornada de 8 horas diárias. Trabalhava-se até 16 horas por dia. Os patrões pagavam quanto queriam, exploravam de todas as maneiras e até aplicavam castigos físicos quando não se cumpriam as ordens. Em Chicago, no dia primeiro de maio, houve uma manifestação pública. Muitas pessoas estavam presentes. A manifestação foi dissolvida pela polícia. Dois dias depois, deu-se o mesmo em uma outra manifestação.

No dia 4, os trabalhadores voltaram a manifestar-se e a polícia outra vez interveio, assassinando homens, mulheres e crianças, oito líderes foram presos e condenados à morte. Quatro deles foram enforcados, um suicidou-se e três foram perdoados.

Em 1892, a Associação Internacional dos Trabalhadores decidiu que o dia primeiro de maio seria comemorado todos os anos, em todo o planeta, como o Dia Internacional do Trabalhador. No Canadá e nos Estados Unidos, o dia do trabalhador é comemorado na primeira Segunda-feira de setembro, pois os dois países não reconhecem o Primeiro de Maio.

Os trabalhadores vinham procurando se organizar para exigir seus direitos desde a Revolução Industrial, na Segunda metade do século 18.

Hoje, apesar de todas as dificuldades, os trabalhadores estão cada vez mais conquistando os direitos de cidadania. Foram criados vários partidos políticos,. Sindicatos, centrais sindicais, organizações não governamentais ( ONGs ), movimentos diversos que buscam a melhor forma de exprimir-se e lutar por melhores condições de vida. A história mostra que a sociedade só evolui e os trabalhadores só conquistam seus direitos quando estão organizados. As principais formas de organização são as seguintes:

· PARTIDO POLÍTICO – Agremiação de pessoas que se interessam pela vida política do país, unindo-se em torno de ideais e objetivos políticos comuns. Esses objetivos são relacionados em um documento escrito, chamado programa, com o qual o partido se apresenta à sociedade.

Em uma simplificação, costuma-se classificar os partidos políticos como de esquerda ou de direita. Historicamente, partidos de esquerda eram aqueles que tomavam posição contra os limites que o capitalismo impõe ao direito de greve e à organização dos trabalhadores, lutando por reformas sociais (socialismo). Os partidos de direita eram aqueles que defendiam a economia de mercado (capitalismo) e a restrição do poder do Estado, ao mesmo tempo em que combatiam os “ excessos” de sindicatos e partidos. Eram conservadores, ou seja, lutavam para “ mudar” , desde que fossem mantidos seus privilégios.

No final dos anos 80, com a queda do Muro de Berlim e o fim do socialismo real, ou seja, praticado no Leste Europeu (hoje as idéias socialistas são praticadas apenas em Cuba, na China – em processo de reforma – e na Albânia – vivendo extremas dificuldades), os conceitos de esquerda e direita ficaram comprometidos.

Na verdade, tenta-se caminhar para uma terceira via, parecida com o que se chama social-democracia. Um modelo democrático, em que se preserva a economia de mercado, capitalista, mas na qual o Estado garante os direitos dos cidadãos e cumpre com seu papel social, assim como o de regular a economia, impedindo os excessos do liberalismo. Cabe a esse Estado criar as condições para o desenvolvimento econômico, mas também social, garantindo a justiça e a distribuição de renda.


· SINDICATOS – Associações de empregados de determinada profissão, que lutam por direitos, buscando melhorar suas condições sociais.

Os dirigentes sindicais são os responsáveis por implementar o que a categoria decide.


· CENTRAL SINDICAL – União de vários sindicatos. Tem como fundamento a formulação de projetos e direção política. As principais centrais sindicais brasileiras são as seguintes: CGT ( Confederação Geral dos Trabalhadores ) , a mais antiga. CUT ( Central Única dos Trabalhadores ) , fundada nos anos 80. E a FORÇA SINDICAL, a mais recente , fundada em 1991.

COMO SÃO AS TRES CENTRAIS SINDICAIS IMPORTANTES : FORÇA SINDICAL ; CUT E CGT



Pensamento: “O castigo dos homens capazes que se recusam a tomar parte nas questões governamentais é viver sob o regime dos homens incapazes”

Em 1991, quando a Força Sindical surgiu, havia no Brasil duas centrais sindicais importantes: a Central Única dos Trabalhadores, CUT, a maior delas, porque integra muitos trabalhadores rurais e quase todos os servidores públicos do país, e a Confederação Geral dos Trabalhadores, CGT, uma sigla histórica, que exerceu um papel, muito importante na história do Brasil, mas foi sufocada pelo golpe militar de 1964, que implantou a ditadura, suprimindo os direitos dos cidadãos de se organizarem livremente em sindicatos.

Até então, os sindicatos brasileiros (assim como as federações e confederações) dividiam-se entre sua obrigação de defender os trabalhadores e não se comprometerem com a política, e seu papel, depois muito criticado, de se confundirem com os governantes, participando de vários governos.

Alguns sindicatos também ganharam o nome de “sindicatos pelegos”, porque estavam mais a serviço dos patrões (principalmente de maus patrões) do que dos empregados.

Já no final do governo militar, o sindicalismo ressurgiu, principalmente no ABC paulista, com a liderança de Luís Inácio da Silva, o Lula, que depois entrou na política e no ano de (2.006) foi reeleito Presidente da República. Muitos sindicatos juntaram-se então em uma central sindical, a CUT, que defendia (e ainda defende, apesar da decadência dessas idéias) um Estado forte, socialista, em contraposição à liberdade econômica proporcionada pelo capitalismo .

A Força Sindical foi fundada pelo então presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, Luiz Antonio de Medeiros, viveu mais de dois anos na antiga União Soviética e, por experiência própria, concluiu que a democracia liberal é mais interessante para os trabalhadores do que o socialismo – pelo menos da forma como o socialismo foi praticado na União Soviética e nos países do Leste Europeu.

Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo era o maior sindicato da América Latina e, com sua liderança, conseguiu a adesão de centenas de sindicatos que até então estavam na CGT ou independentes, por não concordarem com as idéias da CUT, que se transformou em um braço sindical de um partido político, o PT (Partido dos Trabalhadores).

A Força Sindical nasceu com a proposta de ser independente, suprapartidária (seus sindicalistas podem pertencer ou apoiar vários partidos, convivendo democraticamente na mesma central, ao contrário do que acontece na CUT) e também , de participar no mesmo nível de empresários e governantes, da discussão de todas as grandes questões nacionais.

Para se qualificar para esse debate, a Força Sindical reuniu 42 especialistas, entre economistas, sociólogos e cientistas, entre outros, e publicou o livro Um projeto para o Brasil – A proposta da Força Sindical, que contém sugestões concretas para a completa organização de um novo Estado, com ênfase na modernidade e na questão social.

Várias das reformas propostas pela Força Sindical contidas neste livro foram adotadas pelo governo do presidente Fernando Henrique Cardoso e aprovadas pelo Congresso. Outras, muito importantes, ainda não foram encaminhadas para o Congresso, ou se foram, acabaram deturpadas, como é o caso da reforma do sistema previdenciário, um dos mais injustos do mundo, ao garantir aposentadorias enormes para uma minoria (altos servidores públicos e políticos, por exemplo), enquanto a maioria do povo ganha apenas um salário mínimo quando se aposenta.

No início , a nova Força Sindical foi muito criticada, principalmente pelos sindicalistas da CUT, que defendiam e continuam defendendo um outro tipo de sindicalismo, que antigamente se chamava ”de esquerda” : radical, que prefere o confronto com os patrões e o governo ao diálogo, na busca de soluções e objetivos comuns.

Apesar das divergências , no entanto, houve momentos em que a Força Sindical e a CUT estiveram juntas, como em uma grande greve, em 1997. Ou em atos em que os objetivos são a preservação do emprego, da renda e dos direitos dos trabalhadores em geral.

As três centrais – CGT, CUT e Força sindical – estão igualmente representadas, por exemplo, no Conselho Deliberativo do Fundo de amparo ao Trabalhador, o FAT , o maior fundo social dos trabalhadores. Esse fundo é administrado por um Conselho (o Codefat) integrado por nove pessoas,. Três representam o governo; três representam os empresários; e três representam os trabalhadores. Os três representantes dos trabalhadores são da CGT, da CUT e da Força Sindical. E, no Codefat, os três defendem, juntos, os interesses dos trabalhadores.

Nos últimos tempos, as características da CGT aproximaram-se bastantes das da Força Sindical e as duas centrais quase sempre estão juntas em seus autos.

A Força Sindical é responsável também por uma grande mudança no sindicalismo brasileiro: a partir de 1997, começou a estimular seus sindicatos a participarem de um enorme esforço de reqüalificação profissional dos trabalhadores, em escolas fundadas e mantidas pelos próprios sindicatos. Em 1998, em parceria com o Ministério do Trabalho, os sindicatos da Força sindical treinaram cerca de 100 mil trabalhadores, em 12 Estados. E, em São Paulo, junto com o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, criou o Centro de Solidariedade ao Trabalhador, uma agência de empregos que presta serviços aos trabalhadores desempregados ou em risco de perder o emprego.

Como afirmam os principais lideres da Força Sindical, o sindicato no mundo moderno tem um papel muito maior a cumprir. Este novo Sindicato continua defendendo os interesses de sua categoria, mas sempre de olho na sociedade inteira, ou seja, nos cidadãos.

“Muitas vezes nos desiludimos com os políticos e dizemos : não quero saber de política. Essa é uma atitude errada. Se os cidadãos dignos e com ética não participarem da política, a política nunca será moralizada e todos os cidadãos serão prejudicados’”.

Quando procuramos expor nossos ideais, mostrando uma proposta ou criticando conscientemente tudo aquilo que nos rodeia; quando falamos de política, valorizando a moralidade e protestando contra a falta de ética, certas pessoas podem nos adjetivar de várias formas, inclusive de “radicais”. Ora, vamos ver o que é ser radical.

Pela origem da palavra , ser radical significa ir à raiz do problema, discutir as questões de forma profunda. Ou seja, não ficar apenas na superfície, mas sim ampliar os horizonte da discussão, tentando encarar o problema não pelo próprio problema, e sim buscando suas causas.

Otimismo é uma virtude fundamental de todos que vencem na vida. Mas é preciso fé, perseverança e amor para obtermos sucesso e felicidade . Vamos compartilhar da experiência e da importância da auto - estima para o alcance de objetivo na vida.

Estas histórias servirão para refletirem e superarem os eventuais obstáculos do dia-a-dia .

PRIMEIRA HISTÓRIA

Quatro velas estavam queimando calmamente. O ambiente estava tão silencioso que se podia ouvir o diálogo que travavam.
A primeira disse : - Eu sou a paz ! E apesar da minha luz, as pessoas não conseguem manter-me acesa.
E diminuindo devagarinho , apagou-se totalmente.
A segunda disse – Eu me chamo fé ! Infelizmente sou muito supérflua . As pessoas não querem saber de Deus . não faz sentido continuar queimando .
Ao terminar sua fala , um vento levemente bateu sobre ela e , esta se apagou .
Baixinho e tristonha , a terceira vela se manifestou : - Eu sou o amor ! Não tenho mais força para queimar . As pessoas me deixam de lado , não conseguem me enxergar , esquecem-se até daqueles a sua volta que lhes amam . E sem mais , apagou-se .
De repente . . . entrou uma criança e viu as três velas apagadas.
- Que é isso ? Vocês deveriam queimar e ficar acesas até o fim .
Dizendo isso começou a chorar .
Então , a Quarta vela falou : - Não tenha medo criança !
Enquanto eu queimar podemos acender as outras velas . Eu sou a vela da esperança !
A criança , com os olhos brilhantes, pegou a vela que restou e acendeu todas as outras .

ESPERO QUE A VELA DA ESPERANÇA NUNCA SE APAGUE DENTRO DE VOCÊ .





SEGUNDA HISTÓRIA

Um homem sussurrou : - Deus , fale comigo ! E um rouxinol começou a cantar . Mas o homem não ouviu . Então o homem repetiu: - Deus, fale comigo !
E um trovão ecoou nos céus . Mas o homem foi incapaz de ouvir . O homem olhou em volta e disse : - Deus , deixe-me vê-lo pelo menos! E uma estrela brilhou no céu , mas o homem não notou . O homem , então , começou a gritar desesperado : - Deus , mostre-me um milagre !
E uma criança nasceu . Mas o homem não sentiu o pulsar da vida.
Então , o homem começou a chorar, e desesperado , chorava cada vez mais.
- Deus , toque-me ; deixe-me sentir pelo menos que você está aqui comigo . E uma borboleta pousou suavemente em seu ombro . O homem espantou a borboleta com a mão e, desiludido , continuou o seu caminho ,triste e sozinho ; e com medo .
Até quando teremos que sofrer para compreender que Deus está sempre onde está a vida ? Até quando manteremos nossos olhos e nossos corações fechados para o milagre da vida que se apresenta diante de nós , em todos os momentos ? até quando ?

-----------------------------------------------------------------------------

TERCEIRA HISTÓRIA

Diz uma lenda árabe que dois amigos viajavam pelo deserto ; num determinado ponto da viagem discutiram . O outro , ofendido, sem nada a dizer , escreveu na areia :
Hoje , meu melhor amigo me bateu no rosto .
Seguiram e chegaram a um oásis , onde resolveram banhar-se.
O que havia sido esbofeteado começou a afogar-se sendo salvo pelo amigo.
Ao recuperar-se , pegou um estilete escreveu numa pedra : - Hoje meu melhor amigo salvou-me a vida.
Intrigado , o amigo perguntou :
- Porque depois que te bati você escreveu na areia e agora escreveu na pedra ?
Sorrindo o outro respondeu :
- Quando um grande amigo nos ofende , devemos escrever na areia , onde o vento do esquecimento e do perdão se encarregam de apagar , porém , quando nos faz algo grandioso , devemos gravar na pedra da memória do coração , onde vento nenhum do mundo poderá apagar .
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
UMA HISTÓRIA

A escolha é sua . Você já ouviu alguma vez falar em livre arbítrio ? Livre arbítrio quer dizer livre escolha . Em todas as situações da vida sempre temos duas ou mais possibilidades para escolher e, a cada momento , a vida nos exige decisão . Sempre temos que optar entre uma ou outra atitude. Por exemplo : ao ouvir o despertador podemos escolher entre abrir a boca para lamentar por não ser o nosso dia de folga ou para agradecer a Deus por mais um dia de oportunidades. Ao encontrarmos um familiar que acaba de levantar , podemos escolher entre resmungar qualquer coisa, ficar calado ou desejar do fundo da alma um bom dia ! Quando chegamos ao local de trabalho podemos optar por ficar de bem com todos ou buscar o isolamento, ou ainda contaminar o ambiente com o mau humor. Se você chega no trabalho bem humorado , alegre e radiante e encontra seu colega de mau humor , você pode decidir entre sintonizar-se na faixa dele ou fazer com que ele se sintonize na sua .
Você tem ainda outra possibilidade de escolha : ficar na sua .
Todavia , da sua escolha dependerá o resto do dia ; os resultados lhe pertencem . Pois bem , estamos semeando e colhendo o tempo todo .
Se semearmos sementes de flores colheremos flores . Se plantarmos espinheiros colheremos espinhos . Não há outra saída .
Mas o que importa mesmo é saber que a opção é nossa , a escolha é nossa , somos livres para escolher aquilo que queremos .

ENTÃO , COLHA !!!


Nenhum comentário: